Domingo, 27. Maio 2018
RedGlobe Notícias
feed-image RSS Feed
Statistics

Today: 24302

Yesterday: 26247

Since 01/06/2005: 39585819

Declaração de João Oliveira, 24 Maio 2018

1. O debate sobre a introdução legal da possibilidade da provocação da morte antecipada não corresponde à discussão sobre hipotéticas opções ou considerações individuais de cada um perante as circunstâncias da sua própria morte. É, sim, uma discussão de opções políticas de reforçada complexidade e com profundas implicações sociais, comportamentais e éticas.

A legalização da eutanásia não pode ser apresentada como matéria de opção ou reserva individual. Inscrever na Lei o direito a matar ou a matar-se não é um sinal de progresso mas um passo no sentido do retrocesso civilizacional, com profundas implicações sociais, comportamentais e éticas que questionam elementos centrais de uma sociedade que se guie por valores humanistas e solidários.

Sr. Presidente, Sr. Deputados,

Por proposta e iniciativa do PCP, decidimos hoje a redução do horário de trabalho de 35 horas semanais para todos os trabalhadores, do público e do privado.

O tema que hoje aqui nos traz não tem preenchido as capas dos jornais, nem nos recordamos de ter aberto nos últimos tempos algum noticiário. No entanto, é difícil encontrar algo tão central para uma qualquer sociedade, como seja a questão da alimentação humana e, por maioria de razão, as formas como cada País, cada Estado, cada governo, encontra para satisfazer esse direito, essa necessidade que se coloca e colocará, durante 365 dias por ano, ao seu povo e, no nosso caso, a mais de 10 milhões de portugueses.

Intervenção de Jerónimo de Sousa, Secretário-Geral, Audição Pública

Saúdo todos os presentes e agradeço a resposta positiva que deram ao convite do Grupo Parlamentar do PCP na Assembleia da República para participar nesta Audição Pública que tem como tema “Desenvolvimento científico e tecnológico ao serviço do progresso social: redução dos horários de trabalho e emprego com direitos”.

Os avanços civilizacionais nos domínios técnico e científico - que permitem que hoje se possa produzir mais, com melhor qualidade e em menos tempo - são uma conquista da Humanidade e dos trabalhadores e não do capital. É, assim, inadmissível que sejam postos ao serviço do agravamento da exploração e da acumulação dos lucros e não dos trabalhadores, da melhoria das suas condições de vida, da compatibilização da vida profissional com a vida privada e familiar, do progresso e da justiça social.

Intervenção de Jerónimo de Sousa, Secretário-Geral, Debate «Crianças e pais com direitos. Portugal com futuro»

Quero agradecer a todos os participantes e aos que trouxeram contributos para a reflexão que nos propusemos realizar com este debate “Crianças e pais com direitos, Portugal com futuro.” Uma reflexão que tem que necessariamente continuar, pela vastidão e importância do tema e pela necessidade de apurar opiniões e propostas.

Neste debate falámos das novas gerações de trabalhadores, a quem têm sido negados os sonhos, o direito a ter um projecto de vida assumido em liberdade, com realização pessoal, profissional e social. Um projecto de vida em que seja efectivamente assegurado o seu direito de decidir ter ou não ter filhos, quantos e em que momentos das suas vidas. Tais premissas estão longe de ser realidade.

Intervenção de Filipe Vintém: Abertura da X Assembleia de Organização Regional de Viana do Castelo

As mais fraternas saudações a todos os delegados e convidados presentes na X Assembleia da Organização Regional de Viana do Castelo do PCP.

Realizamos a nossa Assembleia num quadro diferente daquela que se apresentava há quatro anos quando da realização da última Assembleia Regional.

Gostaria, em primeiro lugar, de valorizar esta iniciativa e agradecer os valiosos contributos que aqui foram sendo deixados ao longo do dia. Contributos que reflectem um conhecimento aprofundado e concreto, quer sobre a situação em que se encontra a economia nacional, quer sobre a realidade, os problemas e aspirações com que se confrontam milhares de micro, pequenos e médios empresários do nosso País.

INTERVENÇÃO DE JERÓNIMO DE SOUSA, SECRETÁRIO-GERAL, COMÍCIO COMEMORATIVO DO II CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE KARL MARX

Reunimo-nos hoje aqui para assinalar um dia muito especial no âmbito das Comemorações do II Centenário de Karl Marx que o PCP leva a cabo durante todo este ano de 2018 – o dia em que se completam duzentos anos sobre o seu nascimento.

1. A revogação da lei dos despejos constitui um elemento de inegável alcance no quadro de uma política orientada para assegurar o direito constitucional à habitação. O projecto de Lei do PCP que hoje baixou à comissão parlamentar, a ser aprovado, contribuirá para combater a desregulação existente no mercado de arrendamento e para pôr termo à total precarização do direito à habitação que a lei aprovada pelo governo PSD/CDS consagrou, conduzindo ao despejo de milhares de pessoas e famílias, em benefício da especulação imobiliária.

Real time web analytics, Heat map tracking